Retrospectiva das redes sociais em 2018 - K2.
5 tendências de marketing de conteúdo em 2019
Cinco previsões de tendências de marketing de conteúdo em 2019
2 de janeiro de 2019
vídeos para redes sociais: a arte de conseguir vender
Vídeos para redes sociais: os segredos para conseguir vender
21 de janeiro de 2019

Retrospectiva das redes sociais em 2018

retrospectiva das redes sociais em 2018

O conceituado site Marketing Land lançou recentemente uma retrospectiva das redes sociais em 2018, mapeando os principais acontecimentos relativos ao Facebook, Instagram, YouTube, Twitter, Snapchat, Pinterest e Reddit.

Depois de suspender o Cambridge Analytica de sua plataforma em março, os problemas de gerenciamento de dados do Facebook continuaram sendo a principal notícia de mídia social ao longo de 2018.

O Twitter concentrou-se na integridade das eleições norte-americanas e executou uma limpeza maciça de contas de usuários polêmicos. Enquanto o Facebook e o Twitter se concentravam na limpeza das timelines, o Snapchat, o Pinterest e o LinkedIn continuaram a desenvolver suas ofertas de anúncios.

Quase todas as plataformas lançaram novas regras de publicidade política. Além disso, ficou quase impossível abrir um aplicativo sem entrar em Stories (na verdade, agora que esse conceito original do Snapchat chegou ao Instagram, Facebook e YouTube, a verdadeira questão é: por que o Pinterest não usa stories?).

Em seu tempo livre, o Facebook fez o melhor para recrutar mais criadores de vídeo, o YouTube deu à sua base de criadores mais oportunidades de monetização e o Instagram lançou uma plataforma de vídeo. Para não ficar de fora do mix, o Reddit executou sua primeira grande reformulação em mais de uma década.

O tiro pela culatra do manuseio de dados dos usuários

Este ano que passou não é o primeiro em que o Facebook foi escrutinado pelo mau uso dos dados dos usuários, mas foi a primeira vez que a plataforma foi forçada a tomar medidas sérias contra as empresas que tinham entrado em seus sistemas.

Com o anúncio do dia 18 de março de que o Facebook havia suspendido a Cambridge Analytica, a rede social iniciou uma campanha de um ano para provar que estava falando sério sobre segurança de dados dos usuários.

O Facebook sofreu o impacto dos acessos em 2018 por não proteger seus usuários, mas o Twitter também teve trabalho a fazer. Seu CEO, Jack Dorsey, participou de uma transmissão ao vivo de 45 minutos em março, respondendo a perguntas sobre a disseminação de desinformação e abuso na plataforma. Na época, o CEO disse que o foco principal do Twitter era determinar como ele poderia medir a saúde da plataforma de maneira pública e responsável.

Quatro meses depois, a empresa ainda estava focada na saúde da plataforma – colocando outras iniciativas de trabalho em espera para se concentrar nos esforços de integridade eleitoral.

O Google, cuja rede de coleta de dados cobre quase todos os cantos da internet, saiu ileso.

O Facebook suspendeu aplicativos, limitou o acesso de APIs às informações dos usuários e removeu data brokers (entidades que se dedicam a compilar e a vender informações de consumidores na Internet); o Twitter expurgou milhares de contas, mudou a maneira como as conversas acontecem na plataforma e, para conter o spam, tornou mais difícil para as marcas a postagem de conteúdos idênticos simultaneamente em várias contas. O Twitter também restringiu o acesso à sua API.

Snapchat, Pinterest e LinkedIn concentraram-se na criação de seus negócios de anúncios em 2018

O número de usuários do Snapchat caiu, mas sua receita de publicidade cresceu. A empresa começou 2018 abrindo sua API de anúncios para todos os anunciantes. No terceiro trimestre, a rede social obteve crescimento recorde de receita após vários lançamentos, incluindo um mercado de anúncios para parceiros do Discover, opções de anúncios para e-commerces, comerciais e lentes de realidade aumentada no Ads Manager, Snappables patrocinados e ferramentas de segmentação para anúncios.

Este ano, o Pinterest contratou seu primeiro CMO, reforçando o compromisso da empresa em expandir seus negócios de anúncios. Em 2018, o Pinterest lançou várias novas ofertas de ads, desde anúncios de carrossel promovidos e um gerenciador de anúncios atualizado para vídeos de formato grande e novas categorias para o Pinterest Marketing Partner. Além disso, também aumentou seu público para 250 milhões de usuários mensais ativos.

O LinkedIn reformulou totalmente seu Campaign Manager, reconstruindo-o para atender melhor aos anunciantes que gerenciam contas de alto volume. A ferramenta de gerenciamento de anúncios da rede social foi recriada para ser baseada em objetivos, com novas opções de personalização, relatórios de detalhamentos de campanha com um clique e novos recursos de pesquisa para anunciantes. O LinkedIn também adicionou anúncios dinâmicos às suas ofertas no Campaign Manager.

Stories, stories e mais stories

Em junho, o Instagram informou que 400 milhões de pessoas estavam usando diariamente as Stories – mais do que o dobro da base total de usuários do Snapchat (a empresa que originou o conceito de Stories).

>>> Tendências do Instagram para 2019

O Facebook, que lançou as Stories em sua plataforma em 2017, também viu um aumento no uso. Em maio, o Facebook começou a testar anúncios em Stories e disponibilizou o produto para todos os anunciantes em setembro. O YouTube lançou sua própria versão das Stories em novembro, disponibilizando o recurso para canais com 10 mil ou mais assinantes.

Os planos do Facebook para desafiar o YouTube

Como parte de seus esforços para criar um público maior para o seu Watch, o Facebook ofereceu oportunidades de monetização aos criadores de conteúdo e um conjunto expandido de ferramentas de vídeo.

Em junho, a empresa lançou a IGTV – tanto dentro do Instagram quanto como um aplicativo independente -, dando aos usuários a capacidade de fazer upload de vídeos de 60 minutos de duração ou mais. A adoção da plataforma tem sido lenta e ainda não há ofertas de anúncios. 

>>> Saiba mais sobre a IGTV

Por sua vez, o YouTube lançou o recurso “Go Live” para que os criadores pudessem transmitir ao vivo a partir de seus desktops. Também diminuiu o número de inscritos que um canal deve ter para fazer parte do programa Channel Membership – uma importante fonte de receita para muitos criadores – de 100 mil para 50 mil. Em junho, o YouTube disse que os criadores com ganhos de cinco dígitos na plataforma aumentaram 35%, e os de seis dígitos aumentaram 40%.

>>> Vida de YouTuber pode levar ao esgotamento físico e mental

Regras para anúncios políticos são reescritas

Depois que o Facebook, o Twitter e o Google confirmaram a interferência russa em suas plataformas durante o ciclo das eleições presidenciais dos EUA em 2016, na forma de campanhas de desinformação distribuídas como anúncios, a maioria das redes sociais e de pesquisa fez mudanças radicais em suas regras para anúncios políticos.

Meses depois das eleições de 2018, o Facebook instituiu novas regras que obrigam todos os anunciantes políticos a serem verificados na plataforma. Já o Twitter adicionou rótulos a contas de candidatos políticos para identificar facilmente qualquer pretendente aos cargos.

Tanto o Facebook quanto o Twitter lançaram arquivos de anúncios para obter mais transparência em torno da publicidade nas plataformas. O arquivo do Facebook estava focado em anúncios políticos, enquanto o arquivo do Twitter registra todos os anúncios que foram exibidos na plataforma nos últimos sete dias.

O Google lançou novos requisitos de ID para anunciantes políticos nos EUA, exigindo que estes forneçam uma ID emitida pelo governo antes que pudessem comprar anúncios em todas as plataformas do Google. Também exigiu que todos os anúncios políticos em suas plataformas divulguem claramente quem os comprou.

O LinkedIn se afastou completamente das controvérsias ao proibir anúncios políticos a partir de junho passado.

Reddit recebeu um novo design

Pela primeira vez desde o seu lançamento em 2005, o Reddit lançou uma grande reformulação em seu site, redesenhando sua plataforma a partir do zero. O vice-presidente de parcerias da marca do Reddit disse que o site estava obtendo de três a sete vezes mais taxas de engajamento dos usuários desde a reformulação, o que se traduziu em mais engajamento de anúncios também.

Os anunciantes ainda demoram a abrir seus orçamentos de publicidade para o Reddit, mas isso pode mudar à medida que mais marcas percebam o tráfego que a rede está atraindo. Atualmente, o Reddit é classificado como o quinto site mais veiculado nos EUA pela Alexa da Amazon, com o tempo médio diário gasto no site às 11:36 – em média quatro minutos a mais do que os quatro principais sites.

Anunciantes seguiram gastando em plataformas de mídia social

2018 foi um ano de muitas transições e muitas reviravoltas, e em nenhum lugar isso foi melhor refletido do que nas plataformas sociais. Vimos gigantes da tecnologia forçados a enfrentar perguntas difíceis sobre como as redes sociais estão influenciando e moldando nossa cultura.

Mesmo assim, os escândalos não levaram os anunciantes a se afastarem das redes sociais e, com poucas exceções, não esperamos que isso mude neste ano que se inicia – a menos que haja um verdadeiro êxodo no tráfego de usuários ou as opções de segmentação se tornem criticamente limitadas.

 

Cristian Amaral
Cristian Amaral
Avesso ao formato goela abaixo do outbound marketing. Fisgado pela abordagem mais respeitosa do inbound marketing. Publicitário por formação, redator por gosto. Assim como todo mundo, nadando no tsunami de informações e tecnologias, mas sempre atento ao fato de que, no final das contas, seguimos lidando com pessoas.

Deixe uma resposta