Você sabe o que é VOD? Ele já faz parte da sua vida! - K2.
marketing personalizado: 5 marcas que ensinam o que fazer
5 marcas que estão levando o marketing personalizado para o próximo nível
22 de janeiro de 2019
O que é webinar
Você sabe o que é webinar?
13 de fevereiro de 2019

Você sabe o que é VOD? Ele já faz parte da sua vida!

O que é VOD e o quanto ele é presente na sua vida

Neste artigo, vamos explicar o que é VOD, como ele funciona, o que o diferencia do streaming e a revolução causada nos hábitos de consumo audiovisual.

O Video On Demand (VOD), conhecido no Brasil como vídeo sob demanda, representa a  liberdade de escolha para os usuários acerca do conteúdo audiovisual a ser consumido a partir da banda larga e em inúmeros dispositivos, incluindo TVs e as telas de desktops, de tablets e de smartphones.

O VOD traduz a intolerância dos telespectadores com as engessadas grades de programação das TVs abertas e fechadas. Escolher O QUE assistir, no HORÁRIO QUE MAIS CONVÉM – e, de preferência, com apenas um clique ou toque de botão, são exigências que ocasionaram uma grande revolução na forma com que os produtos audiovisuais são consumidos. E essa transformação não tem mais volta.

Os intervalos comerciais do formato tradicional das TVs abertas e fechadas representam um grande inconveniente para a experiência do usuário, pois, além de interromperem a exibição do programa, veiculam peças publicitárias muitas vezes desconectadas das preferências dos telespectadores.

Na grande maioria das plataformas de vídeo sob demanda não há interrupções comerciais. Pelo contrário: há imensos esforços no sentido da personalização da experiência do usuário, por intermédio da ação de algoritmos que aprendem preferências e orientam a sugestão de conteúdos adequados a cada perfil.

Quer saber mais sobre a importância da personalização dos conteúdos? Já escrevemos sobre o assunto nesse post.

Como funciona o VOD?

Neste cenário de insatisfação do público com as TVs tradicionais, o video on demand cresceu enquanto alternativa que apresenta maior controle sobre o que assistir, quando assistir e em qual plataforma.

Além do poder de escolha, há ainda a possibilidade de reassistir o conteúdo por inúmeras vezes, pausar quando for conveniente ou escolher uma parte específica para ser visualizada.

Não há vídeo sob demanda sem a presença de banda larga. Por isso, a popularização do VOD se deve em muito ao crescente número de pessoas com acesso à internet e à variedade de dispositivos habilitados para acessá-la. De acordo o IBGE, cerca de dois terços da população brasileira desfruta de algum tipo de acesso à web.

A revolução do video on demand

Com tamanha popularidade, a característica disruptiva do VOD naturalmente trouxe transformações profundas, tanto comportamentais quanto em matéria de mercados e profissões.

As vídeo locadoras fecharam as portas e as assinaturas de TVs pagas despencaram. Aliás, os aparelhos de TV, antes reinando absolutos enquanto principais dispositivos para o consumo audiovisual doméstico, presenciaram a inevitável divisão do terreno com os desktops, os notebooks, os tablets e, mais recentemente, os telefones celulares.

Lembre-se do que foi dito anteriormente. O mantra do VOD é: “O que quero, na hora que me convier e no dispositivo que eu quiser”.

Como forma de sobrevivência, muitas emissoras de televisão – abertas e pagas – aderiram ao video on demand, criando suas próprias plataformas (algumas com conteúdos exclusivos) e aplicativos para smartphones que comportam transmissão ao vivo e vídeos sob demanda.

Você sabe qual é a diferença entre streaming e on demand?

Streaming

Tecnicamente, o conceito de streaming pode ser entendido como a transferência de dados na internet com o intuito de enviar informações multimídia de servidores para clientes. “Stream” significa “corrente de água”. O “streaming” vem daí: funciona como uma corrente que leva dados do servidor até o equipamento do cliente. A fluidez dessa corrente dependerá da qualidade da banda de internet do usuário.

Você sabe qual qual é a velocidade mínima para streaming de vídeo ao vivo?

Sendo assim, tudo o que você consome de vídeo ou música online é streaming. Todo o conteúdo multimídia que possa ser visto ou ouvido sem precisar fazer download e que possa ser consumido durante o seu carregamento é streaming.

Você deve estar pensando: “Mas então qual é a diferença entre streaming e on demand?”.

Agora você vai entender.

On Demand

Podemos dizer que todo conteúdo sob demanda é TRANSMITIDO por meio de streaming, mas nem tudo que é transmitido via streaming é conteúdo sob demanda. Há também os conteúdos ao vivo do live streaming, e nesses casos há mudanças na tecnologia de transferência dos arquivos ou envio do sinal.

A origem da confusão entre os termos se deu quando as operadoras de televisão por assinatura passaram a disponibilizar os conteúdos para que os consumidores assistissem quando quisessem, vendendo essa funcionalidade apenas como on demand, sem dizer que também se tratava de streaming.

Resumindo: todo o video on demand é transmitido via streaming, mas nem tudo que é transmitido via streaming pode ser chamado de video on demand. Ficou claro?

Video on demand no Brasil

De acordo com os dados apresentados em agosto de 2018 pela Conviva, empresa de monitoramento e inteligência do setor audiovisual, 8% das residências do Brasil já têm um serviço de SVOD (subscription video on demand – assinatura de vídeo sob demanda) como principal entretenimento televisivo (nos Estados Unidos, esse percentual é de 13%;  no México, 17%).

A pesquisa também constatou o hábito dos consumidores brasileiros de maratonar séries, também conhecido como binge watching. Entre os domicílios com algum serviço de TV paga – seja por operadoras tradicionais ou serviços online -, cerca de 60% têm o hábito de assistir a vários episódios em sequência.

Um estudo do Instituto Dataxis, de 2017, apontou o Brasil como principal mercado da América Latina, chamando a atenção para o crescimento acelerado do consumo de VOD.

Principais plataformas de VOD disponíveis no Brasil

Netflix

Apesar de começar como uma simples locadora de DVDs por correio, a Netflix tornou-se um dos serviços de streaming de vídeo mais influentes do mundo. A empresa foi uma das primeiras a entender o potencial da tecnologia de streaming e começou a fazer a transição para um modelo de assinatura  de vídeo sob demanda em 2007.

Desde essa transformação, a receita anual cresceu de 1,2 bilhão para mais de 11,6 bilhões em apenas dez anos. O número de assinantes da Netflix seguiu uma tendência semelhante, crescendo de menos de 23 milhões em 2011 para mais de 130 milhões em 2018. O serviço está se tornando tão popular que estima-se que 37% dos usuários da Internet usem a Netflix.

Uma das principais diferenças entre a Netflix e seus concorrentes é a enorme riqueza de conteúdo original. A empresa produziu mais de 300 títulos de conteúdo original em 2017, um número que só deverá se expandir no futuro. Foi a popularidade de programas como House of Cards, Stranger Things e Orange Is The New Black que tornou essencial a programação original para o sucesso contínuo da empresa.

Amazon Prime Video

De acordo com o site norte-americano Streaming Observer, o Amazon Prime Video possui o maior acervo das plataformas de VOD: cerca de 17.461 filmes ou séries disponíveis online – quase o quíntuplo dos 3.839 conteúdos disponíveis na Netflix.

A plataforma ocupa a segunda posição na crescente indústria de video on demand, com cerca de 26 milhões de assinantes somente nos Estados Unidos e planos de expansão em termos mundiais.

A Amazon produziu 23 novas séries originais digitais somente em 2017, um número que vem aumentando desde que a empresa lançou seu primeiro bloco de programação original em abril de 2013.

HBO Go

A HBO é uma verdadeira usina de produção de conteúdo de qualidade. Seu acervo é menor do que o da maioria dos seus concorrentes, mas, em compensação, várias de suas produções ocupam espaço cativo na história da cultura pop contemporânea. Pense nas séries Game of Thrones, The Sopranos, True Detective, Westworld, Band of Brothers e The Wire, entre tantas outras. Sem falar em seus filmes produzidos para a TV.

O assinante da plataforma tem acesso a todo conteúdo exclusivo da HBO, o qual inclui , além das séries, um catálogo de mais de 2 mil filmes.

Assim como a Netflix e a Amazon Prime Video, a HBO Go permite a adesão aos planos sem que haja vínculo algum com qualquer TV por assinatura.

A HBO é o melhor exemplo de adaptação de um canal de TV paga para o mercado do SVOD.

 

Cristian Amaral
Cristian Amaral
Avesso ao formato goela abaixo do outbound marketing. Fisgado pela abordagem mais respeitosa do inbound marketing. Publicitário por formação, redator por gosto. Assim como todo mundo, nadando no tsunami de informações e tecnologias, mas sempre atento ao fato de que, no final das contas, seguimos lidando com pessoas.

Deixe uma resposta