Codecs de vídeo on-line e transmissão ao vivo: o que você precisa saber - K2.
Transmissão ao vivo: saiba como entrar nesse jogo
13 de junho de 2018
O melhor software de transmissão ao vivo em 2018
Qual é o melhor software de transmissão ao vivo para streaming HLS em 2018?
25 de junho de 2018

Codecs de vídeo on-line e transmissão ao vivo: o que você precisa saber

Codecs de vídeo para transmissão ao vivo

Profissionais envolvidos com transmissões ao vivo provavelmente estão familiarizado com os codecs de vídeo e áudio, os quais são fundamentais para a configuração de uma transmissão ao vivo. Este artigo, publicado originalmente pela DaCast, analisará os princípios básicos dos codecs e garantirá que você esteja apto a oferecer a melhor experiência possível aos espectadores.

Compartilharemos tudo o que você precisa saber sobre os codecs. Vamos discutir o que é um codec e como ele funciona. Também vamos analisar vários dos codecs de áudio e vídeo mais populares, além de falar sobre alguns tópicos associados, como wrappers e protocolos de transporte.

No final deste post, falaremos sobre o relacionamento entre os codecs e a largura de banda. Também compartilharemos algumas das configurações de codec recomendadas para vídeos on-line e transmissões ao vivo.

O que é preciso saber sobre codecs de vídeo e áudio para uma transmissão profissional

Todo o streamer profissional precisa entender os codecs. Mesmo se você não for engenheiro de vídeo, esse tópico é importante. Como você provavelmente já sabe, os codecs afetam suas necessidades de equipamentos, largura de banda, compatibilidade, orçamento e muito mais.

Ou seja, os codecs de última geração podem representar para o seu conteúdo de vídeo a diferença entre desaparecer no esquecimento ou estar na vanguarda.

Se você estiver envolvido no setor de vídeo digital, este post fornecerá uma lista de verificação de informações sobre os codecs para garantir que você fique atualizado.

>>> Conheça os dois principais desafios para começar a transmitir ao vivo e quais são as soluções dos problemas

Codecs, taxa de dados e tamanho do arquivo

O vídeo digital bruto é composto por uma série de imagens paradas. Quando jogadas uma após a outra em alta velocidade, você recebe um vídeo. Da mesma forma, o áudio digital bruto é simplesmente uma coleção de medições da magnitude de vários tons.

Esses dados brutos são incrivelmente ricos em informações. No entanto, isso também significa que são volumosos e pesados. Um vídeo composto por trinta imagens por segundo facilmente se torna extremamente grande. Portanto, as câmeras de cinema que gravam vídeo bruto podem criar terabytes de dados a partir de um único dia de filmagem. O mesmo acontece com os gravadores de áudio bruto.

Esse “peso” dos arquivos brutos é um ponto delicado para para vídeos on-line e transmissões ao vivo. Nossas conexões de internet, dispositivos móveis e computadores domésticos simplesmente não são poderosos e rápidos o suficiente para processar esses dados. O armazenamento e a largura de banda são caros, e os arquivos brutos afetam diretamente essas questões.

Codecs diminuem arquivos multimídia para tamanhos gerenciáveis

A solução para problemas de tamanho de arquivo e taxa de dados é o codec, que significa “codificador / decodificador”. Essencialmente, o codec é um processo matemático que reduz o tamanho dos arquivos digitais, descartando ou reduzindo dados desnecessários. A parte complexa faz isso de forma inteligente, mantendo o máximo de qualidade possível.

Codecs diferentes fazem isso de maneiras distintas. Um método básico que os codecs usam é comparar cada quadro de uma imagem com o quadro anterior. Se os dados permanecerem iguais (por exemplo, há um canto escuro do quadro em ambas as imagens), ele poderá ser eliminado do segundo quadro. Este é um exemplo simplificado, mas ajuda você a entender como funciona um codec.

Com o tempo, os métodos melhoraram. No entanto, os codecs que compactam o vídeo em tamanhos menores, mantendo mais qualidade, tendem a exigir mais poder de processamento, tanto para codificar quanto para decodificar.

Codecs de vídeo e áudio mais populares

Existem muitos codecs diferentes disponíveis hoje, mas há alguns tipos principais sendo usados para áudio e vídeo on-line. São eles:

  • O H.264 é o codec de vídeo mais comum usado atualmente. Ele é compatível com todos os dispositivos e é a recomendação para vídeos on-line e transmissões ao vivo.
  • O VP9 é outro codec, desenvolvido pelo Google. É gratuito, de código aberto e oferece melhor desempenho que o H.264. No entanto, ainda não é amplamente suportado para transmissão ao vivo.
  • O AAC é o codec de áudio mais comum hoje em dia. Desenvolvido no final dos anos 90, fornece boa qualidade de áudio a taxas de bits relativamente baixas. O AAC também é amplamente compatível com todos os tipos de dispositivos.
  • O MP3 é o codec original que popularizou o compartilhamento de mídia na Internet. Ainda é amplamente usado, mas não para streaming de vídeo. Nesse quesito, o AAC é mais eficiente e amplamente suportado.

Perfis H.264

Como o H.264 é o codec de vídeo mais popular para vídeos on-line, vale a pena mencionar um elemento importante: os perfis.

Os perfis são versões diferentes do codec H.264. Existem muitos tipos de perfis, mas os mais comuns são Baseline, Main e High.

Baseline e Main foram originalmente criados para dispositivos de baixa potência. No entanto, hoje o perfil High é uma excelente escolha para a maioria das transmissões de vídeo ao vivo.

Wrappers (mp4 não é codec)

Vamos esclarecer uma confusão bastante comum: a extensão no final de um arquivo digital geralmente NÃO informa nada sobre o codec. Nomes de arquivos comuns para mídia terminam em .mp4, .mov ou .avi.

Eles são chamados de wrappers ou container formats. Um wrapper permite que um arquivo contenha vários elementos diferentes, como legendas e metadados. O container format que você usa não é particularmente importante para o vídeo on-line. Em caso de dúvida, use mp4. É o formato de suporte mais amplamente usado atualmente.

Protocolo de transporte

Como você pode ver, o vídeo na internet é uma série de tecnologias construídas umas sobre as outras para resolver novos desafios. O protocolo de transporte se enquadra nessa categoria.

Os protocolos de transporte são métodos para transmitir multimídia pela Internet. Para funcionar, eles devem ser entendidos pelo remetente e pelo receptor.

Existem dois protocolos muito comuns em uso atualmente na indústria de transmissão ao vivo. O primeiro é o HLS, que é o que usamos na K2.Live para fornecer streamings aos espectadores. O HLS é amplamente compatível e oferece bom desempenho.

O segundo protocolo é o RTMP. Este é um padrão antigo, mas ainda é largamente usado para a ingestão de streamings de vídeo.

Codecs e largura de banda

Como você aprendeu, os codecs ajudam a reduzir os arquivos, o que facilita a transmissão pela Internet. As velocidades de conexão estão aumentando, mas os arquivos de vídeo também estão ficando maiores. O vídeo 4K está se tornando mais comum, assim como o HDR (High Dynamic Range) e o HFR (High Frame Rate).

O tamanho e a qualidade do streaming de vídeo determinam a largura de banda que você usa. Taxas de bits mais altas (que correspondem a uma qualidade maior) exigem mais largura de banda para o envio. Você precisará garantir que sua conexão com a Internet seja rápida o suficiente para transmitir o bitrate desejado.

Você também pode garantir que seus espectadores tenham uma experiência de visualização de qualidade transmitindo em várias taxas de bits de uma só vez.

Codecs de última geração

No entanto, esse uso depende do codec que você adotou. Há uma variedade de codecs de áudio e vídeo de próxima geração em desenvolvimento hoje, os quais prometem oferecer melhor qualidade e tamanhos menores de arquivo ao mesmo tempo .

Vamos mencionar alguns brevemente. O primeiro, VP9, já citamos anteriormente. Outro codec ascendente é o HEVC (High Efficiency Video Coding) ou H.265, que é o sucessor do H.264. Ele promete entregar vídeo com o dobro da relação qualidade / eficiência do seu antecessor.

Outro codec a ser acompanhado de perto é o AV1. Esta alternativa de código aberto ao H.265 oferece melhor qualidade e pode se tornar onipresente em poucos anos.

Na área do áudio, há o codec chamado Opus, que oferece melhor qualidade a cada bitrate, comparado às demais opções. O Opus é gratuito e de código aberto, além de ser suportado nativamente em iOS e Android.

Codec e configurações recomendadas para a maioria das transmissões ao vivo e vídeos on-line

Por enquanto, recomendamos o uso do codec H.264 para vídeo e do AAC para áudio. Essas recomendações podem mudar no futuro, à medida que a tecnologia dos codecs amadurece. Atualmente, essas são as melhores escolhas para alcançar o máximo de audiência possível com o seus vídeos.

Conclusão

Neste post, analisamos como funcionam os codecs e quais são os ideais para uso na transmissão on-line na atualidade. Esperamos que isso tenha ajudado a atualizar seus conhecimentos e a prepará-lo para uma transmissão bem-sucedida.

Agora que você está atualizado, é hora colocar toda essa teoria em prática e realizar uma transmissão ao vivo. Se você ainda não pratica esse formato de comunicação com o seu público, precisará de uma plataforma de transmissão ao vivo, como a K2.Live.

Se você tem interesse em testar o nosso serviço de transmissão ao vivo, entre em contato conosco. A efetivação do seu projeto pode ser mais descomplicada do que você imagina.

>>> Saiba por quê o seu negócio precisa fazer transmissões ao vivo

 

Cristian Amaral
Cristian Amaral
Avesso ao formato goela abaixo do outbound marketing. Fisgado pela abordagem mais respeitosa do inbound marketing. Publicitário por formação, redator por gosto. Assim como todo mundo, nadando no tsunami de informações e tecnologias, mas sempre atento ao fato de que, no final das contas, seguimos lidando com pessoas.

Os comentários estão encerrados.